Teste Hidrostático em Equipamentos NR-13: Obrigatoriedade Legal, ou Ferramenta de Segurança?

   Com a criação da NR-13 em 1995, surgiu junto a obrigatoriedade dos testes hidrostáticos (TH) nos equipamentos enquadradados nesta norma. Porém mesmo antes do surgimento de referida norma, essa já era uma prática adotada em muitas empresas.

  Inicialmente pode-se pensar que o TH é apenas uma ferramenta utilizada pela equipe manutenção de equipametos em uma planta industrial para a verificação de vazamentos. Mas a sua obrigatoriedade prevista pela NR-13, possui outro interesse; a segurança dos trabalhadores.

   Outra importante aplicação do TH, é como método de alívio de tensões geradas no processo de soldagem na fabricação do equipamento.

   Porém nem só de benefícios está cercada esta técnica. Pode-se listar algumas das desvantagens ligadas a realização do TH:

  • - Possibilidade de crescimento crítico de descontinuidades e destruição do equipamento;
  • - Possibilidade de crescimento subcrítico de descontinuidades pela sujeição de regiões danificadas a solicitações bem superiores as obtidas operacionalmente;
  • - Elevado custo/benefício para sua aplicação, já que este ensaio apenas “informa” se há vazamento ou não, não podendo ser considerado como uma ferramenta de inspeção;
  • - Dificuldade de realização em equipamentos de grande volume instalados em locais de pouca oferta de água apropiada para o teste.

   Bibliografias referentes ao estudo para aplicação do TH não formam unanimidade em relação a sua aplicação. E exatamente por existir a obrigatoriedade legal, os profissionais envolvidos com estes equipamentos são obrigados a enfrentar um desafio. Como foi descrito acima, um TH pode deflagrar o crescimento subcrítico de uma descontinuidade sem a destruição do equipamento, porém com a consequente fragilização da estrutura, e pior sem nenhum mapeamento desse crescimento, já que não é comum a reinspeção de um equipamento após a realização de um TH. Fato colocado, a obrigatoriedade legal então não estaria entrando em contradição, já que a realização do TH com o intuito de proteger o trabalhador, poderia aumentar sua exposição ao risco de acidentes na operação destes equipamentos?

   E certo que, relatos sobre acidentes originados no crescimento subcrítico de descontinuidades após realização de TH são pouco encontrados na indústria petroquímica ou petrolífera, mas mesmo assim alguns profissionais defendem não ser prudente essa obrigatoriedade, mas sim que cada caso deveria ser estudado individualmente.

   Como forma de se “proteger” desta obrigatoriedade, alguns profissionais iniciaram alguns estudos sobre o crescimento e a propagação crítica e subcrítica de descontinuidades e formas de identificá-las.

   Um estudo bem interessante pode ser encontrado no endereço http://www.tede.ufsc.br/teses/PEMC0839.pdf onde o profissional realiza este estudo em dois vasos de pressão sendo um contruído em aço carbono com a introdução de um defeito na fabricação do tipo falta de fusão em um bocal, e o outro um vaso vertical contruído em aço inox austenítico que sofreu processo de corrosão sob tensão sob o isolamento térmico gerando micro trincas em grandes áreas dos costado do equipamento.

 

Referências:

ANÁLISE DE DEFEITOS DE TESTES HIDROTÁTICOS EM VASOS DE PRESSÃO – Filho, Eng. Jorge dos Santos Pereira – Tese de Mestrado apresentada a Universidade Federal de Santa Catarina – 2004.

 

About these ads

7 respostas para Teste Hidrostático em Equipamentos NR-13: Obrigatoriedade Legal, ou Ferramenta de Segurança?

  1. Ronildo Cerqueira de Almeida disse:

    vou começar a trabalhar com teste hidrostatico,na área de gasoduto, trabalho na área de Téc.Seg.Trab.
    temos uma linha de 150km, vamos testar de 10km em 10km.o primeiro passo e encher a tubulação de água e testar, depois vem os outros processo.Quais são os riscos existente na área, o que pode acontecer, e o que devemos fazer para que tudo corra tudo bem.

    • Fabio Ribeiro disse:

      Os riscos existentes é o duto não resisitir a pressão de teste e se romper. Se tiver só agua no duto o risco é baixo, mas caso sobre um bolsão de ar e o duto se rompa, o ar é expelido violentamente e pode machucar pessoas e equipamentos. O ar é um fluido compressivel é armazena muita eenrgia qdo comprimido.

      Como seguranca, durante o TH toda a área de teste deve ser isolada.

  2. henrique disse:

    queria saber o modo de fazer o teste hidrostatico em vazo de pressao ,se e feito com um manifodio e o manometro no ponto mais alto ??tenho essa duvida

    • José Augusto disse:

      Caro Henrique,
      antes de realizar o Teste Hidrostático, você deverá consultar a folha de dados do equipamento e verificar a Pressão de teste, o tipo de fluído, e a temperatura mínima para se executar o teste. Observação importante é para os vasos em aço inox. A água deverá ser analisada e só poderá conter no máximo 50 ppm de cloreto. Esta é a parte burocrática.
      A parte prática: O vaso pode ser vertical ou horizontal. Para amobos os tipos, os dispositivos de testes deverão ser rastreados e capazes de suportar 6000 libras de pressão (as conexões e curvas do manifold); os manômetros (mínimo de 2) deverão ter seu range (capacidade) de 2 vezes maior que o valor do teste, para que se possa enquadrar nos 2 terços da escala; verificar a validade de calibração dos manômetros; Tudo verificado, não esqueça que é importante instalar uma válvula de segurança no manifold com set point 10% maior que a pressão de T.H; feche os drenos e abra o vent, e começe a encher de baixo para cima, isso permitirá expurgar o ar, evitando bolsões de ar; quando completar o enchimento, deixe vazar bastante água, para eliminar todo o ar; feche o vent, e faça um gráfico dividindo-o em cinco etapas da seguinte forma: 10% / 20% / 50% / 75% / 100%, e vai acompanhando a pressurização. Quando atingir 50%, verifique se não há nenhum vazamento. Se não continue até os 100%. Mantenha por 30 minutos e baixe a pressão para 75% e realize a inspeção final. Cada patamar tem um velocidade a ser respeitada, em média 10 minutos tanto para subir como baixar. Outros detalhes são: tipo de junta de vedação; tipo do solo (as vezes existe solo recalcado, então não é uma boa ideia fazer T.H- ai tem que falar com o profissional habilitado).
      Bom penso que lhe ajudei.

      José Augusto Costa Alves
      Tecnico em Inspeção de Equipamentos

  3. Ademir Ferreira Sobrinho disse:

    Estou buscando modelos de documentação completa implícita numa inspeção NR 13 pois quero chegar num modelo de documentação que tenha objetividade.

    Aos profissionais que tiverem estes documentos favor me enviar. Posteriormente estarei divulgando nos canais de acesso de todos os profissionais.

    Obrigado.

    Ademir.

  4. victor disse:

    qual custo de um teste hidrostatico tendo-se como base o 8″ num circuito total de 4600mts ?

  5. Nelson Gomes Coutinho disse:

    os riscos existem o segredo é acompanhar as normas do plano de teste monitorar atraves de manometro e trabalhar com profissionais abilitado e isolar toda a aréa a ser pressurizada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: